A chuva lá fora

Chuva e vento

Tem gente que fica depressivo com o mal tempo ou dias de chuva, eu adoro! O que me deprime é o inverno, aquele misto de frio e sol ardido me leva a loucura. Mas a chuva parece que me lava a alma, talvez porque meu trabalho dependa muito desta graça divina, pois vivo do que tiro da terra e chuva é sinal de fartura. A mesmas aguas que trazem alegrias e fartura, também trazem destruição e tristezas para para aqueles que vivem no concreto ou nas encostas de morros, em casas improvisadas ou favelas abandonadas pelo poder publico. Aqui no sitio quando chove é só alegria, acaba a poeira, o pasto brota, as plantações se desenvolvem e eu me enfio nos meus flashbacks, assisto um filme, estouro pipoca e invento mil coisas para aproveitar a chuva. Já houve um tempo em que desejei morar na cidade, aqui no sitio não se tinha quase nada, mas hoje temos tudo o que a cidade tem e com uma vantagem, fazemos nossos horários e vivemos longe do transito infernal que atormenta a todos, coisas que só quem vive aprende a valorizar. Hoje quando tenho que ir a cidade, já saio de casa com o humor afetado, imaginando a falta de vaga para estacionar, o transito quase parado, o barulho e as malditas buzinas apressadas. Bom mesmo é o barulho da chuva no telhado e uma boa musica para viajar de volta aos bons tempos, reviver cada momento nos dá força para prosseguir neste mundo de loucos… Provavelmente eu seja um deles e nem me dei conta ainda!